sexta-feira, abril 24, 2009

Eis a Cidade Velha



O local mais emblemático da Cidade Velha é, para mim, a praça da Cidade Velha. Tem alguns pontos de interesse, tem muita animação, até demais e é o centro de Praga.
Tem a igreja mais reconhecível, Nossa Senhora do Tyn. Costuma estar fechada, mas desta feita, conseguimos aproveitar uma visita marcada e ver o interior. É muito espartano e não está à altura da beleza exterior.






A Páscoa é uma festividade com tradição na Europa Central e tivemos a sorte ou azar de apanhar uma feira tradicional na dita praça. Sorte, porque pudemos ver algum artesanato e gastronomia típica, azar, porque apanhámos ainda mais gente do que é habitual nesta zona.
Não me lembro de ver coches da última vez que cá estive, mas desta feita, cá estão eles.
Queria ter provado os Langose, uma espécie de panqueca coberta de queijo que entra na categoria “faz aumentar o colesterol, por isso, deve ser bom”, mas a Mana não demonstrou entusiasmo e acabou por passar a ocasião.



E este é supostamente o maior ex-líbris, o relógio astronómico da câmara velha. Foi fabricado no século XV, aperfeiçoado no fim do mesmo século pelo mestre Hanus, a quem mandaram cegar para que não construísse um mecanismo semelhante.
Comentário da Mana, “Mandaram cegar o homem por isto?” É a opinião geral da doutrina. O que era muito impressionante no século XV, não é lá muito avançado no século XXI. E o da câmara de Munique é mais elaborado e não fez ninguém perder a vista.


8 comentários:

Gi disse...

Parece mesmo um mergulho na Idade Média!

Precious disse...

E foi mesmo, em mais sentidos do que um.
Haverá, pelo menos, dois posts medievais, Gi.

Noiva Judia disse...

E o do Munique tem esqueletos dançantes.

Precious disse...

Sim, Noiva, que é muito melhor que um esqueleto a puxar um cordelinho.

Elsa disse...

Bonitas fotos, bonita praça!
Sim, fiz o mesmo comentario qd vi o relógio.
É bonito, de facto, mas nada de perder a vista :)

Precious disse...

É o problema das expectativas elevadas, Elsa, fala-se tanto do relógio que o pessoal se esquece que é muito antigo e não pode obviamente impressionar muito numa altura em que a técnica evoluiu tanto.

Hannah disse...

Sabes que nunca me canso de olhar para esta igreja? Tenho uma foto aqui no meu quarto há alguns anos e não me canso. Acho maravilhosa. O relógio também acho muito bonito e como não esperava nada, achei lindo.

Precious disse...

A igreja é, de facto, muito bonita.
O relógio não é feio, apenas desilude quem esperava uma maravilha da técnica e se esqueceu que era a técnica do Séc. XV.