sexta-feira, junho 26, 2009

Varsóvia, cidade mártir



Muitos países sofreram intensamente com a Segunda Guerra Mundial, mas a Polónia teve uma ocupação particularmente dura. Varsóvia em especial pagou bem cara a ousadia da insurreição contra os nazis e foi completamente destruída.
Mas vejam só, a reconstrução não só está concluída, como foi feita com imenso bom senso.
A primeira foto é da Praça da Cidade Velha, a torre rosa que se vê é do Palácio Real, que foi explodido pelos nazis em 1944.



Já esta foto é da Praça do Mercado Novo, vendo-se à esquerda a Sereia, que é o símbolo da cidade. Aqui as estátuas estão todas de espada na mão, porque com vizinhos destes, toda a cautela é pouca...
Diferença de idade entre praças? Nenhuma. Ambas foram reconstruídas a partir de pinturas e desenhos a partir dos anos 50 de modo a ficarem exactamente como eram antes da guerra.


Mas como manda a praxe, ficaram algumas provas da destruição da guerra, para que a memória perdure, como é o caso deste edifício perto da Avenida da Solidariedade. É também um monumento à Resistência Polaca, à semelhança de muitos outros que se encontram um pouco por toda a cidade.
Poucas vezes vi uma cidade prestar tão grande homenagem aos tempos difíceis que passou. Mas mais provas do empenhamento dos Polacos na preservação da memória ficam para outros posts.

11 comentários:

Gi disse...

Sem dúvida um belo exemplo!
Sempre que se fala da Polónia, lembro-me de uma história que li em criança, na catequese, sobre o Padre Kolbe que escolheu morrer em vez de outro prisioneiro.
São, de facto, uns resistentes.
De invasão em invasão.

Gi disse...

E és dos poucos blogues que li até agora que não falou do MJ. :)

Precious disse...

Gi, o padre que identificas é muito falado também lá. Como são aliás os resistentes mais famosos.

Pois, não fiquei indiferente à morte do Rei da Pop, mas só posto uma vez por dia e este já estava programado.

velvetsatine disse...

Da Polónia tenho a ideia de um país onde aconteceram coisas absolutamente terríveis, imagem essa acentuada pelo facto de há tempos ter conhecido um casal (ela Portuguesa e ele Polaco) e ter ficado a saber que ele se recusava a regressar ao país de origem e que já mal sabia falar Polaco.

Precious disse...

Dependendo da idade do senhor, até pode não ser por causa da ocupação nazi, mas pela que se lhe seguiu. Os soviéticos também não eram bons de se coçar.
A verdade é que são uns moços dados à emigração. Lembro-me de ter visto muitos polacos em Londres o ano passado.

Sandrine disse...

E eu cá fico a aguardar!!! :P

Precious disse...

Bem, Sandrine, espero que haja, já vi que só trouxe uma coisita de Katyn como insólito.
Ainda tenho de ver melhor as fotos.

Noiva Judia disse...

Quem esquece o passado está condenado a repeti-lo... fazem bem em preservá-lo.

Precious disse...

Tens toda a razão, Noiva.
Mas algumas pessoas (estou a visualizar uma ou duas) achariam que por a recordação ser tanta e tão reiterada, que a cidade é deprimente. Já me disseram isso de Berlim, que é apenas das cidades mais fascinantes do mundo.

Hannah disse...

Já queria ter comentado mas ainda não tinha havido muito tempo. Recebi um postal igualzinho à segunda foto, de alguém que esteve lá na mesma altura que tu. Achei engraçado ver depois aqui a imagem :)

Precious disse...

Os postais de Varsóvia repetem imagens das praças principais de diversos ângulos. Giro que tenha sido o mesmo ângulo de que o teu postal, Hannah.