terça-feira, fevereiro 23, 2010

O que se comeu em Amesterdão



Tendo em conta que, nesta viagem, a minha companheira não é dada a grandes experiências gastronómicas, não se verá nada de muito exótico.

Mas descobrimos uma xafarica interessante com algo que não é comum aqui no burgo, "Bagels and Beans", um franchising especializado nessa especialidade que a escriba aprecia, Bagels.

Ambos são de queijo de cabra, mas o de cá pendia mais para o doce, com mel e nozes (que ficaram agarradas ao aparelho, para não variar).

O estabelecimento é em conta e tem uma boa variedade de sumos e cházinhos.





O mais exótico que se comeu por terras estrangeiras foi um Falafel. Quer dizer, que eu comi, a Mana optou por peito de frango. Tenho pena de não ter experimentado um restaurante indonésio, culinária em alta na Holanda.

Este não era um Falafel clássico, mas era agradável.

Esta xafarica fica na rua ao lado do canal do mercado de flores, chamada Tabas Bar, mais em conta ainda que a anterior. Tem outras especialidades do Médio Oriente, bem como comida dita "normal" podendo acolher os aventureiros e os esquisitos.



O novo museu Hermitage tem um restaurante russo, chamado Neva. Não tinha muita variedade, mas tinha umas excelentes instalações, um serviço rápido e não era proibitivamente caro.
A Mana torceu logo o nariz, mas não teve escapatória, dado o adiantado da hora e o facto de não haver grande escolha à volta. Não apreciou a salsicha de caça e detestou a couve roxa (acho que por ter decidido antecipadamente que era demasiado exótico), mas ambas recebem nota máxima da minha parte.
Contudo, o nosso "Tapadinha" mete este restaurante a um canto, no que toca a variedade da ementa em todas as categorias.


Espera-se que a próxima reportagem gastronómica seja bastante mais estimulante.

11 comentários:

Hannah disse...

Fotografias sempre muito apetitosas :)

Gi disse...

Tu não me digas que a tua irmã também é só apreciadora do bitoque com ovo a cavalo e batatas fritas, como uma amiga minha que só ia a restaurantes de comida estrangeira se também servissem essa nossa maravilha! :)

Precious disse...

Hannah, também acho.

A minha mana emprestada divide a comida em duas grandes categorias: cozinha portuguesa e comida de índio. A comida de índio é dividida em duas categorias, a aceitável, constituída apenas pela italiana, e tudo o resto ;)
Ela só gosta de comida portuguesa.

Noiva Judia disse...

Precious, esse falafel no parto quase me induziu em erro e ia-te perguntar se tinhas experimentado bitterballen, uma das poucas especialidades gastronómicas holandesas que me caíram no goto, a par com o krokett.
Quanto à próxima reportagem gastronómica... pois, I gotta a feeling... ;)

Precious disse...

É mesmo Falafel e não bolas amargas. Também comi Krokett, mas no Mac e sem direito a foto. Achei piada.
E a próxima reportagem vai ser em bom.

paula disse...

olá precious
eu sou a amiga da amiga, que te escreveu na quinta feira a partir de outro mail.
prefiro este.
passei só para te cumprimentar, e já agora aproveito para falar daquela vez em que quase ia esganando de fome na hungria.
quando por fim, já fora de lá, me deram um bife e um simples arroz branco, enlouqueci de alegria.
não penses que eu sou como a tua irmã. adoro comidas exóticas.
mas a da hungria, sinceramente...

Precious disse...

Olá, Paula, bem-vinda.
A Mana é minha amiga, não minha irmã. É uma private joke, que qualquer dia explico aqui.
Não tenho más recordações da comida da Hungria, mas eu sou um bicho que adora comida fora do comum. E, na Hungria, podias ter comido bife todos os dias se quisesses ;)

paula disse...

mas isso era se não tivesse a comida da volta pré-paga, e pouca vontade de gastar mais dinheiro - na verdade a estadia lá, foram só dois dias.
sabes, a minha prima só quer viajar através de agências, para não ter trabalho a decidir as coisas.
eu, embora gostasse de fazer uma viagem por mim, também sou muito pregiçosa. uma vez fiz, mas fui com uma amiga.
agora vou sempre com a prima...

Precious disse...

Eu não gosto de rebanho e a comida tende a ser má nesse tipo de esquemas.
Gosto de viajar com hotel marcado, mas a comida fica por minha conta. Tenho-me dado sempre bem.

Rute disse...

epá a primeira imagem está brutal... hmmmmm de crescer água na boca!!!

Precious disse...

Há uma xafarica em Santa Catarina que serve uns bagels com aspecto tão saboroso como este. Temos de ir lá, Rute.