quarta-feira, março 18, 2009

Eu não gosto de mamar nos copos do Starbucks...



Devem ler o título com a entoação do refrão desse grande êxito do Quim Barreiros, "Eu Gosto de Mamar nos Peitos da Cabritinha".
Isto para encerrar Barcelona, antes que venha Praga.

O primeiro contacto da Mana com o Starbucks ia correndo mal. Dando de caras com o simpático copinho que vêem acima, exclamação pronta da Mana "Agora tenho de mamar nesta coisa?"

Tudo se compôs nas visitas seguintes, porque esta vossa escriba aprendeu a dizer "pajita" (sim, cabe-me sempre falar com os indígenas com esta companheira de viagem) e a Mana já não teve de aplicar a boca directamente nos referidos copitos.

Copos com buraquinho? Americanice, pois claro. Sim, porque se formos a ver bem, há muito pouca coisa que uma pessoa adulta pode mamar em público sem ser presa ou parecer ridícula...

14 comentários:

Noiva Judia disse...

Pois, a questão do mamar dava aqui pano para mangas. Além de que à temperatura escaldante a que servem as bebidas, a pessoa bem que queima as beiças ao beber pelo buraquito do copo. Eu também peço palhinha ou tiro a tampa para a beberagem arrefecer mais depressa...
E gostei da referência ao Quim Barreiros! ;)

Thunderlady disse...

Pior que mamar no copo eu pergunto-me como é possível tragar um golo que seja da zurrapa em quantidade familiar?

Yack.

Precious disse...

Cantada, a referência é ainda melhor, Noiva.
Eu não tenho nada contra o buraquito e queimo-me quer nesta versão, quer na versão palhinha.

Thunderlady, eu gosto do chocolate com avelã, mas bebo sempre o mais pequenino.

Elsa disse...

Eu n vou comentar o mamar, m sim o Starbucks.

O meu 1º contacto c o dito foi numa viagem a Madrid ou Barcelona, tb... já n m lembro bem...

Na China, a sensação que tive foi de ver um oasis no meio do Deserto...

Já em NY, enjoa ver Starbucks em cada esquina...

Precious disse...

Elsa, a verdade é que as marcas conhecidas são importantes em certas partes do estrangeiro, porque nos poupam morrer à fome.
Mas o excesso da mesma coisa e não vermos nada de verdadeiramente típico ou original também cansa.

Hannah disse...

Eu tiro sempre a tampinha, gosto de ver o que vou beber (sou esquisita, pronto...)

Sandrine disse...

É bem verdade!!!! Há mínimos para uma que uma pessoa possa fazer com a boca, na rua e a engolir ao mesmo tempo!!!!

Precious disse...

Arrisco-me a dizer, Hannah, que esse hábito te há-de valer uma má surpresa um dia destes...

Sandrine, isso foi um bocadinho mais explicíto do que devia ser ;)

Júlio disse...

Agora lembre-me do café na Holanda... Blarck
Os copos são mesmo o 'american way' no seu expoente máximo.
É para levar para todo o lado sem verter nada. Que não falte café a ninguém e em alguma situação.
**

Precious disse...

Ou chocolate, para quem não toca no café, como eu :)

Júlio disse...

E não me lembrei que 'pajita' ou 'paja' é calão para outra coisa, apesar de oficialmente ser palha... Mas tu és menina, ainda vá. Já eu se fosse ao balcão pedir uma 'pajita' poderia ser mal interpretado, por isso acho que mamava no copo e calava-me.

Precious disse...

Porque é que não estou admirada com a existência deste termo de calão?
Contudo, Júlio, pedir uma pajita num estabelecimento de vendas de bebidas nunca deve ser alvo de malentendidos. Já se pedires num sítio onde normalmente não há palhinhas, é por tua conta e risco...

Gi disse...

Não conheço o Starbucks, já ouvi falar; o mais provável era, caso não me dessem palhinha, ou pedir ou tirar a tampa; consegue tirar-se a tampa ou o copo é um monovolume?

Precious disse...

Já que alguns comentadores decidiram optar por trocadilhos e calão de natureza brejeira, em resposta à Gi, vai mesmo em inglês, sujeito a más interpretações, "Yes, the top comes off" ;)