sexta-feira, julho 31, 2009

O passado fim-de-semana foi medieval



A vossa escriba, não parecendo, é uma mulher dada ao medieval, seja música, mercados ou história.
Por isso, apesar de estar de rastos, decidiu aceitar o convite da sua comadre APensarnumMelhor (Mulher, tens de pensar mesmo num melhor que estou farta deste nome) e rumar a Óbidos para se deliciar com o pitoresco medieval.





Ora no bom do mercado, após uma breve exposição sobre as três religiões mais batidas da península, entra-se logo numa parte de comes.
Dado o adiantado da hora, as visitantes foram logo morfar. Pequena observação à organização do Mercado: era simpático porem umas sombrinhas na área do comes para os visitantes não desfalecerem no meio do calor.




Ora, não tinha lógica pôr-se simplesmente o nome das coisas que havia para comer, logo usou-se a imaginação. Cliquem na foto para a verem de um tamanho decente.
Eu comi pão com chouriço da paixão, mas não senti ânsias de qualquer espécie
, salvo ficar com a língua queimada de tão quente que estava.
A minha comadre comeu tormenta de porco no pão, mas também não deu sinais de ter ficado atormentada.





E a principal secção do mercado são as bancas de comércio onde se podem comprar variadíssimas mercadorias, desde artigos em couro, pedras, chás e o famoso licor levanta o pau. Mas realmente imperdível é a vista do castelo.




Como animação, tivemos direito a cortejo com cavaleiros e tudo.
O cortejo sai do castelo e vai até às portas da vila, com diversas personagens, tudo trajado como manda o figurino.


A encerrar o cortejo e a nossa visita, uns bichinhos simpáticos deram um ar da sua graça.
Alguém fala serpentês?

13 comentários:

Noiva Judia disse...

Óbidos é muito giro, mesmo sem feira medieval. Aliás, até gosto mais fo Festival do Chocolate... mas já valia só pelo castelo e pela bela da ginjinha no Ibn Errik Rex.

Precious disse...

A ver se este ano experimento o festival do chocolate. E já agora, também Óbidos despido, sem evento especial.
Nem que seja para beber a boa da ginjinha.

Gi disse...

Já fui a Óbidos imensas vezes, mas sempre fora das confusões. Prefiro.

Precious disse...

Terá o seu encanto na simplicidade. Quando lá for em singelo, logo direi o que acho.

velvetsatine disse...

Fui uma vez à Feira Medieval e adorei! Muita animação e comida deliciosa. Vale bem a pena. E depois é interesse ver o recuperar do período medieval que tendo um lado mais obscuro e tenebroso não deixa de ser uma época fascinante.
Boas fotos!

Precious disse...

É uma época histórica que acho interessante, a idade das trevas, tem boa música e uns instrumentos de tortura intrigantes ;)
Mas a melhor apresentação medieval, ainda é a que vi em Santa Maria da Feira, maior, mais elaborada e com mais eventos.

cmgatv@clix.pt disse...

Adoro Óbidos, mas como a Gi, longe da confusão...gosto muito de lá ir de noite,a iluminação das muralhas e das ruas é espectacular!!!

velvetsatine disse...

À de Santa Maria da Feira nunca fui. Espero um dia lá ir! Fui uma vez à de Aljubarrota e também gostei,embora seja mais pequenina do que a de Óbidos.

Precious disse...

Cris, fomos cedinho e não apanhámos muita gente. Não achei nada confuso nem apinhado.
Mas gostarei de ir ver a vila mais ao natural, que também terá um encanto especial.

Velvetsatine, recomendo vivamente a de Santa Maria da Feira.
Agora há uma grande moda de feiras medievais, não só aqui no nosso burgo mas também por esse Europa fora. Dizem que a Alemanha tem a liderança nestas andanças e a Espanha já não lhe fica muito atrás.

Hannah disse...

Óbidos é realmente um lugar engraçado, só lá fui uma vez e gostei bastante.
Naquela lista dos comes, os mozarenhos tiveram de levar explicação, tal não deve ter sido o número de pessoas a perguntar o que aquilo era.

Precious disse...

Hannah, olha que não eram só os mozarenhos que estavam a levantar dúvidas. Muita gente estava a perguntar se as pastaniscas eram normais. O que quereriam dizer com normal? a) bem enquadradas na sociedade? b) heterossexuais? ou c) de bacalhau ;)

Hannah disse...

Eu que me considerava entendida em pataniscas, pelo menos em comê-las, não sabia que havia tão grande variedade no petisco :P

Precious disse...

Pois, sobre a adaptação de pataniscas na sociedade e a sua orientação sexual há muito a dizer.