terça-feira, setembro 08, 2009

Capas de discos parte II



Se tivessem fotografado as cabeças dos decapitados da Revolução Francesa, teríamos algo parecido com isto.
Os senhores Bruno e Caetano acharam que era um bom conceito de capa. Nós também gostamos, mas acho que aos autores não lhes agradaria os nossos motivos. É tudo bom, desde as letras cor de rosa, o ar sexy enfastiado do Bruno até ao ar facínora assassino do Caetano.
Os nossos irmãos do outro lado do Atlântico também sabem fazer capas kitsch. A culpa, cá para mim, é mesmo dos anos 70, época tão prolífica para estas coisas.

6 comentários:

Gi disse...

É mesmo uma capa apocalíptica.

velvetsatine disse...

Aquele bigode é um regalo! :-D

deKruella disse...

Jasus!!!

Precious disse...

Capas kitsch, com bigodaças à maneira são do mais fantástico, meninas.

Noiva Judia disse...

Chiça! Deve ter havido uma evasão do Carandiru nesse dia, não? O caetano tem mesmo ar de psicopata!

Precious disse...

Sim, Noiva, o Caetano não tem ar de ser boa pessoa. Mas se calhar até tem um coração de ouro.